E-mail Imprimir

Imprensa | Ultimas Notícias

VOLTAR

Saúde animal

01 de Novembro | 12:39

Autor: Michel Ferreira Fonte: Ascom Foto: Divulgação

Vacinação contra febre aftosa é tema de encontro entre profissionais da área e órgão de fiscalização

 

O correto armazenamento de doses e a higienização dos equipamentos utilizados na aplicação de vacinas contra a febre aftosa; foram alguns dos assuntos abordados durante encontro entre representantes de classes ligadas à agropecuária, revendas especializadas e médicos veterinários de Nova Ubiratã.

 

Promovido pelo Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea), nesta segunda-feira (29), o evento também marcou o lançamento da segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa, que acontece entre o dia 1º a 30 de novembro.

 

De acordo com o órgão fiscalizador, a meta é imunizar cerca de 13,6 milhões de bovinos e bubalinos com até 24 meses de idade.

 

Em Nova Ubiratã, os criadores precisam estar atentos à alteração referente à comunicação de vacinação. O procedimento deve ser feito pelo responsável da área e/ou, em caso de terceiros, por meio de procuração.

 

“Antigamente o produtor poderia repassar essas informações através de vizinhos, amigos ou familiares. A conduta está vedada, portanto, a partir desta etapa a comunicação deve ser feita pelo próprio criador ou por pessoa de sua confiança, desde esteja autorizado por meio de procuração”, explica a médica veterinária do Indea, Ana Caroline Elgert.

 

Segundo a servidora, a mudança visa diminuir a margem de erro das informações repassadas ao órgão fiscalizador.

 

“Nem sempre a pessoa indicada tem todas as respostas sobre a propriedade. Isso acaba dificultando à correta atualização dos dados”, reitera.

 

Para o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Nova Ubiratã, Albino Castilho Ruiz, a ação da entidade é fundamental para garantir a qualidade do rebanho.

 

“O produtor rural quer fazer a coisa certa (sic), mas às vezes por falta de orientação agente acaba pecando. Reconhecemos a importância do Indea e é exatamente por isso somos parceiros das ações realizadas pela entidade”, disse.

 

Presente no encontro, o médico veterinário da secretaria municipal de Agricultura, Pedro de Souza Junior, também reforçou a importância do trabalho conjunto entre órgão fiscalizador, entidades de classes, empresários e a Administração Municipal.

 

“Durante as visitas in loco nós orientamos os produtores sobre a importância da correta manutenção do rebanho assim como dos demais animais. Ações semelhantes também são desenvolvidas pelo sindicato rural, cooperativas e o próprio Indea, sendo que dessa forma conseguimos atingir o maior número possível de produtores”, avalia.