E-mail Imprimir

Imprensa | Ultimas Notícias

VOLTAR

490 mm de chuva

05 de Dezembro | 13:28

Autor: Michel Ferreira Fonte: Redação / Assessoria Foto: Divulgação

Excesso de chuva causa danos em estradas vicinais e prefeitura intensiva ações emergenciais

A Prefeitura Municipal de Nova Ubiratã, através da Secretaria de Obras, Infraestrutura e Transportes, intensificou os trabalhos de recuperação e manutenção em pelo menos 80 quilômetros de estradas vicinais.

 

Os trechos considerados críticos estão localizados no entorno dos distritos de Entre Rios, Piratininga e Santo Antônio do Rio Bonito, situados respectivamente a 150, 90 e 60 quilômetros do perímetro urbano do município.

 

As obras realizadas em caráter emergencial, tem por objetivo minimizar os danos causados pelas fortes chuvas que caíram na região norte do Estado. 

 

Entre as cidades afetadas estão Feliz Natal, Vera, Lucas do Rio Verde, Sinop e Nova Ubiratã onde choveu o equivalente a 490 mm, em novembro, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (IMET).

 

O número representa o dobro de chuva prevista para o mês e praticamente o triplo do que foi registrado em 2017.

 

No distrito de Entre Rios, em Nova Ubiratã, produtores relataram a incidência de 270 milímetros de chuvas em uma semana. Como consequência algumas estradas vicinais estão praticamente intransitáveis.

 

“Estamos com duas frentes de serviço aguardando uma estiagem para darmos início aos procedimentos emergenciais”, declarou o secretário de Obras, Infraestrutura e Transportes de Nova Ubiratã, Cosmen Brito de Souza (Baiano).

 

Ainda de acordo com o gestor, cerca de 25 profissionais e pelo menos e 15 maquinários, incluindo caminhões caçambas, retroescavadeiras, pás carregadeiras e patrolas, devem ser utilizados.

 

“Nesse primeiro momento vamos dar prioridade as estradas utilizadas para o transporte de grãos e estudantes, como são os casos da MT-338 que liga Nova Ubiratã a Paranatinga, no distrito de Piratininga, no travessão central sentido a balsa e nas proximidades das fazendas Caguaçu e Paraíso (Entre Rios e Santa Terezinha) e na estrada vicinal que liga o distrito de Santo Antônio do Rio Bonito a usina”, detalha Cosmen.

 

Para o secretário, a qualidade do serviço precisa ser mantida com apoio dos produtores rurais já que alguns têm desrespeitado a faixa de domínio que varia entre 15 e 20 metros a contar do centro da via.

 

“Alguns produtores não entendem, mas a faixa de domínio é destinada para que possamos construir desaguadores, microbacias e demais mecanismos que possibilitem o acúmulo de águas pluviais. Isso serve para garantir que as chuvas não danifiquem as estradas”, esclarece ao lembrar-se de alguns incidentes ocorridos no município.

 

“Teve uma ocasião que tivemos que acionar a Polícia Militar para fazer nossa segurança durante a execução do serviço. Tem ainda o exemplo de um sitiante de Piratininga que fez uma cerca praticamente em cima da estrada. Em outra ocasião o produtor rural foi lá e simplesmente desmanchou todo o trabalho realizado por nossa equipe. Atos como esses não podem acontecer, pois a faixa de domínio pertence ao município, ou seja, a sociedade e não ao fazendeiro”, desabafou.

 

Dano ao patrimônio

O ato de destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia está previsto no artigo 163 do Código Penal Brasileiro.

 

A pena varia entre um a seis meses de detenção e pode ser agravada caso o crime tenha sido praticado contra patrimônio público da união, estado ou município e por motivo egoístico.