E-mail Imprimir

Imprensa | Ultimas Notícias

VOLTAR

NEGÓCIO RENTÁVEL

29 de Outubro | 14:13

Autor: Karen Misae de Borba Fonte: Ascom Foto: Divulgação

Plantação de mandioca deve impulsionar agricultura familiar em Nova Ubiratã

A agro industrialização tem se tornado uma opção para que pequenos produtores sejam inseridos no competitivo mercado de exportação.

 

Em Nova Ubiratã, uma das alternativas difundidas tem sido o plantio, a comercialização e a industrialização de mandioca.

 

O assunto foi tratado, nesta sexta-feira (25), durante uma reunião que contou com a presença de representantes da Secretaria Municipal de Agricultura, produtores rurais e empresários do ramo.

 

Proprietário da Farinheira e Fecularia Santiago do Norte, Odir José Nicolodi (Caçula), demonstrou as vantagens do cultivo e do beneficiamento da raiz.

 

“Já estamos no terceiro ano de funcionamento e, apesar de estarmos instalados em uma região extremamente produtora, ainda encontramos dificuldades para adquirir o produto”, assinala o empreendedor ao defender a expansão do plantio de mandioca no município.

 

“O investimento inicial é baixo se comparado com a plantação de hortaliças, por exemplo. Outra vantagem é a comercialização garantida do produto já beneficiado no nosso caso a fécula e a farinha de mandioca”, completa.

 

No entanto, conforme o empresário é necessário que o produtor esteja atento à variedade da mandioca a ser cultivada.

 

Os interessados podem adquirir as ramas na própria farinheira ao custo de R$ 80,00 m2. O custo reduz a partir do segundo plantio, isso porque o produtor passará a utilizar as ramas cultivadas na safra passada.

 

“A agricultura familiar é responsável pela produção de 70% do alimento cultivado no Brasil. O que estamos buscando com essa parceria é viabilizar a comercialização de parte deste produto e com isso aumentar a geração de emprego e renda no setor”, avalia o secretário municipal de Agricultura, Paulo César Centurião.

 

Ainda de acordo com o gestor, para auxiliar os pequenos produtores rurais a Administração Municipal em parceria com a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) disponibilizará assistência técnica qualificada para o acompanhamento das lavouras.

 

“Temos uma equipe formada por técnicos agrícolas, engenheiros florestais e agrônomos, além de maquinários e implementos que serão utilizados para o preparo do solo e durante o cultivo das futuras plantações”, afirma.