E-mail Imprimir

Imprensa | Ultimas Notícias

VOLTAR

Combate a hanseníase

07 de Fevereiro | 12:36

Autor: Michel Ferreira Fonte: Ascom Foto: Divulgação

Administração Municipal faz balanço positivo da "Campanha Janeiro Roxo"

O secretário de Saúde, Silvio André Stolfo, classificou como positiva a Campanha Janeiro Roxo, mês de conscientização e combate a hanseníase.

 

Segundo relatório, divulgado esta manhã (07), pela Prefeitura de Nova Ubiratã, dos 22 casos sintomáticos da doença apenas 13 foram confirmados. 

 

Os pacientes diagnosticados com hanseníase já iniciaram a etapa de exames para posterior tratamento. Atualmente 45 moradores de Nova Ubiratã fazem o tratamento contra a doença.

 

“Uma das vantagens da campanha é a celeridade, uma vez que mobiliza vários profissionais de diferentes setores da saúde. O tempo entre o diagnóstico e o início do tratamento é mínimo resultando na melhor recuperação do paciente”, observa Stolfo.

 

Para atender essa demanda, profissionais ligados à vigilância epidemiológica e do Programa Saúde da Família (PSF) I, II e III atuaram de forma conjunta no perímetro urbano e em comunidades rurais.

 

Durante a campanha, também foram desenvolvidas ações orientativas como palestras, distribuição de panfletos e saquinhos de lixo veicular personalizados, e uma caminhada que mobilizou profissionais da pasta, moradores além de familiares e pacientes diagnosticados com hanseníase.

 

“Por se tratar de uma doença crônica e transmissível, alguns pacientes se sentem descriminados ou até mesmo 'excluídos'. No entanto, diferente do que algumas pessoas pensam a hanseníase não é transmitida apenas com um toque, uma conversa ou um aperto de mão. Precisamos desmistificar essa cultura, fruto da falta de informação, e colocar um fim ao preconceito (...) afinal, o carinho da família ajuda e muito na recuperação desses pacientes”, recomenda o secretário de Saúde.

 

Apesar de encerrada a campanha, as ações de combate à hanseníase seguem ao longo do ano. Para isso a secretaria aconselha que, em caso de sintomas do doença, os moradores procurem a unidade de saúde mais próxima e solicitem o agendamento de uma avaliação.

 

Sobre a Hanseníase

Hanseníase é uma doença infecciosa causada pelo Mycobacterium leprae que acomete a pele e os nervos periféricos. Ela é uma doença de baixa infectividade, ou seja, o seu poder de contágio é baixo.

 

Os sinais e sintomas mais frequentes da hanseníase são: Manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas, em qualquer parte do corpo, com perda ou alteração de sensibilidade térmica (ao calor e frio), tátil (ao tato) e à dor, que podem estar principalmente nas extremidades das mãos e dos pés, na face, nas orelhas, no tronco, nas nádegas e nas pernas.

 

Áreas com diminuição dos pelos e do suor, dor e sensação de choque. Formigamento, fisgadas e agulhadas ao longo dos nervos dos braços e das pernas. Pode se apresentar inchaço de mãos e pés. Também pode se observar a diminuição sensibilidade e ou da força muscular da face, mãos e pés, devido à inflamação de nervos, que nesses casos podem estar engrossados e doloridos, úlceras de pernas e pés; Caroços (nódulos) no corpo, em alguns casos avermelhados e dolorosos. Algumas pessoas podem ter febre, edemas e dor nas juntas, entupimento, sangramento, ferida e ressecamento do nariz e ressecamento nos olhos.