E-mail Imprimir

Imprensa | Ultimas Notícias

VOLTAR

'OPERAÇÃO ABAFA AMAZÔNIA'

11 de Outubro | 08:24

Autor: Michel Ferreira Fonte: Ascom Foto: Divulgação

Forças de segurança deflagram operação contra crimes ambientais em Nova Ubiratã; prefeitura defende diálogo

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) deflagraram, nesta segunda-feira (09) em Nova Ubiratã, mais uma etapa da "Operação Abafa Amazônia".

 

Desencadeada pelo Batalhão de Emergências Ambientais do Corpo de Bombeiros, Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental (BPMPA) Delegacia Especializada do Meio Ambiente e a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), a ação integrada visa coibir práticas de crimes ambientais como; desmatamento e a degradação florestal ocasionada pelas queimadas irregulares e incêndios florestais.

 

Ao todo são utilizadas 09 viaturas, dois caminhões do Corpo de Bombeiros, e duas aeronaves, sendo um avião de combate a incêndios e um helicóptero, além do Centro Integrado de Comando e Controle Móvel - equipado com computadores interligados a internet, rádios de comunicação e câmeras de vídeo monitoramento.

 

Além de Nova Ubiratã a operação deve atingir ainda as cidades de Sinop, Marcelândia, União do Sul e Feliz Natal.

 

De acordo com o comandante da operação, Tenente-coronel do Corpo de Bombeiros, Barroso, trinta e três agentes atuam na fiscalização de campo. Eles são guiados por meio de imagens de satélites coletadas ao longo do ano.

 

“Antes de iniciar a operação nós fazemos um levantamento prévio através das imagens de satélites que apontam os locais de possíveis desmatamento ilegal ou de foco de calor. Em seguida encaminhamos a unidades de solo que são responsáveis pela perícia e posteriormente a emissão da multa ao proprietário da área”, esclarece.

 

“Nós viemos fazer o papel do Estado que é proteger a população e resguardar os recursos naturais para as gerações futuras. Estamos defendendo o interesse coletivo, o interesse da maioria, principalmente das gerações futuras conforme prevê o artigo 225 da constituição que diz; ‘É dever do Estado e responsabilidade de todos proteger o meio ambiental garantindo sustentabilidade para as gerações futuras’. Por esse motivo pedimos a colaboração dos moradores tanto da área urbana quanto rural”, complementa.

 

Antes de iniciar a operação, o comandante se reuniu com o prefeito do município, Valdenir José dos Santos, e os secretários Arnon Soares Vandes (Governo) e Ari Antônio Basso (Meio Ambiente) que voltaram a defender o diálogo entre o governo do Estado e os produtores rurais.

 

“Na maioria dos casos os produtores rurais são vitimas dos incêndios e não causadores. Lembramos o comandante dos transtornos e prejuízos causados recentemente pelo fogo em nossa região. Nossa cidade vive da agricultura e portanto não podemos criminalizar o produtor rural”, ponderou o prefeito Valdenir José dos Santos.

 

Já o secretário de Meio Ambiente, Ari Antônio Basso, apresentou as ações desenvolvidas pela prefeitura, em parceria com o Sindicato dos Produtores Rurais, alertando sobre o risco e o período proibitivos das queimadas.

 

“Temos investidos em campanhas de conscientização e educação ambiental, porém a prática de queimadas ainda é uma realidade em nossa região. Nossos esforços á partir de agora serão para evitar que  os pequenos produtores rurais sejam penalizados”, reforça.

 

Período proibitivo

O governo do Estado prorrogou para o dia 15 de outubro (domingo) o período proibitivo de queimadas. Para evitar futuras penalizações os produtores rurais que tiverem interesse em fazer uso de fogo devem procurar a Sema e solicitar autorização prévia.