E-mail Imprimir

Imprensa | Ultimas Notícias

VOLTAR

Uso exclusivo em serviço

09 de Julho | 18:28

Autor: Michel Ferreira Fonte: Ascom Foto: Divulgação

Conselho Tutelar de Nova Ubiratã é contemplado com repasse de veículo 0 km

O governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas/MT) e do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e Adolescente (Cedca/MT) (oficializou, nesta quarta-feira (04), a entrega de 64 veículos aos conselhos tutelares do Estado.

 

Ao todo serão repassados 150 automóveis, Fiat Uno 0 km, o que corresponde a um investimento de R$ 6,4 milhões.

 

Entre as cidades contempladas estava Nova Ubiratã que na oportunidade foi representada pelo chefe do Poder Executivo, Valdenir José dos Santos,pelo servidor público municipal Adina Geraldo Bett e pelas conselheiras tutelares Samara Tavares da Silva e Aline das Chagas.

 

“O Conselho Tutelar exerce um papel fundamental na garantia dos direitos de nossas crianças e adolescentes. No caso específico de Nova Ubiratã a equipe trafega semanalmente por centenas de quilômetros de estradas vicinais, portanto nada mais justo do que esses profissionais terem mais conforto e segurança”, pontua Valdenir.

 

Na avaliação do prefeito, o repasse do veículo vem para somar com as ações realizadas pela Administração Municipal junto à entidade, por sua vez ligada a secretaria municipal de Assistência Social.

 

“A valorização profissional do servidor municipal sempre foi uma prioridade da nossa gestão. Nos últimos anos concedemos vários benefícios a exemplo do reenquadramento salarial que estava desasado há quase uma década assim como a concessão periódica da Revisão Geral Anual (RGA). Um servidor motivado é mais atencioso, produtivo. Sendo assim o maior beneficiado é a sociedade que passa a contar com um serviço de qualidade e mais humano”, finaliza.

 

Segundo levantamento do Cedca, Mato Grosso conta com 150 conselhos tutelares espalhados pelos 141 municípios.

 

São 881 conselheiros ativos, sendo que uma minoria que atua especialmente em cidades de pequeno porte, não contava com veículo de apoio o que prejudicava o atendimento de ocorrências envolvendo crianças e adolescentes.